Holandês constrói “Arca de Noé” e planeja trazê-la para o Brasil

A Arca de Noé está vindo para o Brasil. Sim, ela mesma! Aquela da Bíblia, só que mais moderna. Ela está ancorada na Holanda, é maior do que um campo de futebol e tem capacidade para 5.000 pessoas. Mas ela não navegará pelas águas do oceano Atlântico levando um casal de cada espécie animal, mas sim oferecerá palestras, filmes e discussões bíblicas.

arca-de-noe-da-holanda-1461709541572_300x300

Mas não se preocupe, não há nenhuma previsão de dilúvio bíblico para que ela saia do porto. Será apenas uma espécie de “turnê”, uma “jornada da esperança”, como define o seu construtor, o holandês Johan Huibers.

Concluída em 2012, a Arca já recebe turistas e se tornou realidade depois que Huibers sonhou com a inundação da sua terra natal –vale lembrar que parte da Holanda está abaixo do nível do mar.

O carpinteiro diz ter usado as mesmas medidas de Noé no Antigo Testamento. Mas, segundo o site oficial da arca, Huibers decidiu que o barco não deveria ficar somente na Holanda, e deveria espalhar sua missão na América do Sul, Central e do Norte.

E se você ficou interessado, o plano é que ela esteja aqui durante as Olimpíadas e fique no país por pelo menos dois anos (podendo chegar a até quatro) no Rio de Janeiro. O roteiro da Arca pretende passar por Fortaleza, Manaus, Belém, Recife, Salvador, Vitória, Santos, Florianópolis e Porto Alegre. Está nos planos ainda Montevidéu, no Uruguai, Buenos Aires, na Argentina, San Francisco e Seattle, nos EUA.

arca-de-noe-da-holanda-1461709611147_615x300

Amfitheater-Ark-PP

 

 

 

 

Amfitheater-2-1

 

 

 

Cientista comenta a descoberta do selo do rei Ezequias: “Confirma a Palavra de Deus”

“Esta incrível descoberta confirma a Palavra de Deus mais uma vez. Não é animador ser um cristão e ver como a ciência está constantemente confirmando a verdade da Palavra de Deus?”, comentou o norte-americano Ken Ham.

797668708-selo-rei-ezequias

Fundador do blog “Respostas em Gênesis” e diretor do Museu da Criação, em Petersburg (Kentucky / EUA), Ken Ham disse que a recente descoberta de um selo pertencente ao antigo personagem bíblico, Ezequias – um dos reis de Judá – pode ser usada como prova para confirmando a Palavra de Deus na Bíblia.

“Uma recente descoberta em Jerusalém dá-nos um olhar pessoal sobre o maior rei de Judá, Ezequias, o grande reformador. O relato bíblico de Ezequias e suas reformas religiosas são pessoalmente inspiradoras e encorajadoras para mim”, escreveu Ham em seu blog, na última terça-feira (12).

A descoberta do selo em um pedaço de argila de 2.700 anos de idade foi anunciada em dezembro de 2015, durante uma coletiva de imprensa na Universidade Hebraica de Jerusalém.

Eilat Mazar, o líder da escavação, disse que o artefato é “o mais próximo que se chegou até hoje de algo que foi provavelmente feito pelo próprio rei Ezequias”.

Acredita-se que a peça deve ter sido usada para selar um rolo de papiro, segundo informaram os investigadores, observando que eles descobriram o selo em um antigo depósito de lixo, próximo a Cidade Velha de Jerusalém.

Mazar disse que a descoberta é especialmente importante, considerando que esta foi a primeira vez que “uma impressão de selo de um rei israelita ou da Judéia veio à luz em uma escavação arqueológica científica”.

Em seu blog, Ham, que defende uma visão de mundo criacionista quando se trata da Bíblia e as origens humanas, apontou que o Antigo Testamento menciona o rei Ezequias como um dos maiores reis, desde Davi e Salomão.

A passagem de 2 Reis 18: 5 afirma que ele “Confiou no Senhor, o Deus de Israel não havia ninguém semelhante entre todos os reis de Judá, nem antes dele ou após ele” mas ele é falado em um número de instâncias em 2 Crônicas 31 também.

Ham disse que a arqueologia confirmou a veracidade de uma série de acontecimentos que rodearam o período de tempo, como o cerco Senaqueribe da cidade da Judeia de Laquis, como encontrado em 2 Reis 18:13.

O presidente ofereceu AiG que a descoberta do Selo do Rei Ezequias é importante por causa de sua novidade ea conexão pessoal que faz com uma figura bíblica.

“Este é o primeiro selo com o nome de Rei Ezequias já descoberto por um arqueólogo (os outros foram vendidos no mercado de antiguidades, mas eles não foram descobertos por arqueólogos, de modo que a sua autenticidade é questionável). Ele oferece um olhar pessoal sobre o Rei Ezequias, considerando que o selo provavelmente veio do anel que ele usavam em seu dedo”, escreveu Ham.

“Esta incrível descoberta confirma a Palavra de Deus mais uma vez. Não é animador ser um cristão e ver como a ciência está constantemente confirmando a verdade da Palavra de Deus? É claro que considero que a Bíblia é a verdadeira história registrada… isto é exatamente o que devemos esperar e é exatamente o que nós estamos vendo acontecer”, acrescentou.

Um artigo publicado no Haaretz, no início de Janeiro também referenciou a importância do selo, observando que o que é especial sobre ele é que ele oferece evidências sólidas, mostrando que Jerusalém já abrigou grande administração real hebraica.

“Quase todos os outros selos e peças hebraicas da época tinham sido ilegalmente desenterradas e vendidas por ladrões como antiguidades, tornando-as sem valor para os arqueólogos, devido à sua proveniência incerta e autenticidade questionável”, o artigo observou.

Entrevista com o teólogo e físico Adauto Lourenço

Entrevista com o teólogo e físico Adauto Lourenço
Mestre em Física pela Clemson University, nos EUA, matemático e teólogo, Adauto J. B. Lourenço, 53 anos, mora em São Paulo, onde congrega na Igreja Presbiteriana Central de Limeira. É casado com Sueli Lourenço e tem três filhas. Morou nos EUA e Alemanha para pesquisar e retornou ao Brasil para atuar como pesquisador independente na área de Matéria Condensada e Física de Superfície. Ele presta consultoria na área de novas tecnologias anticorrosivas. Seu ministério é ensinar o Criacionismo Científico, apresentando palestras em igrejas sobre a importância de mostrar que processos naturais, ou seja, as leis da natureza, não teriam trazido à existência a complexidade encontrada no universo e na vida.Quando perguntado sobre a razão de ter cursado Teologia e Física, a resposta é rápida: “Porque Deus sabia que um dia elas me seriam necessárias. Como sempre fui muito curioso, conhecer o universo também foi um plano de Deus na minha vida”.Comunhão esteve presente a uma de suas palestras, realizada na Primeira Igreja Presbiteriana de Vitória, e obteve essa entrevista, exclusiva. Confira.

Comunhão – Como se deu sua conversão?
Adauto: O Senhor Deus veio ao meu encontro quando eu tinha 10 anos. Pude entender o que Ele pensava a meu respeito e que a minha única opção era aquela que Ele me oferecia através de Cristo Jesus.

Por que decidiu cursar Teologia e Física?
Porque Deus sabia que um dia elas me seriam necessárias. Como sempre fui muito curioso, conhecer o universo também foi um plano de Deus na minha vida.

Como saber se a narrativa bíblica sobre a criação aconteceu como está escrito?
Na verdade, é impossível provar que a Criação não ocorreu como está escrito. Gênesis 1 e 2 falam da criação dos céus e da terra. Apocalipse 21 e 22 fala da criação de novos céus e nova terra. Existe uma simetria muito grande entre esses textos. Se Gênesis 1 e 2 são mentiras, então Apocalipse 21 e 22 também o são. Fomos planejados. Esta é a maior descoberta científica de todos os tempos.

Podemos utilizar a Ciência para provar que as revelações bíblicas são verdadeiras?
A Ciência não prova que as revelações bíblicas são verdadeiras porque, se fosse assim, a Ciência seria maior que a Bíblia. Na verdade, a Ciência apenas constata a verdade bíblica.

Como o senhor avalia a postura da igreja e dos pastores em relação ao estudo da Ciência?
A Igreja já não é como foi no passado. Os pastores dos idos de 1800 tinham que estudar Teologia e Física Natural como parte de seu currículo. Hoje, cursam só Teologia, por isso não sabem fazer a conexão da Bíblia com o resto das coisas. É estranho um físico que não lê a Bíblia, assim como é estranho um pastor que não estuda Ciências.

O que dizem as leis do Brasil e dos Estados Unidos sobre ensino da teoria Criacionista nas escolas?
Em ambos os países, as leis promulgadas não favorecem o ensino do criacionismo científico, sob a alegação de que se estaria ensinando religião, e não ciência. Isso é colocado considerando-se o Estado laico, ou seja, secular, sem a influência ou controle por parte da igreja. Dizer-se que ensinar o criacionismo estaria sendo ensinar religião somente seria verdade se fosse ensinado o criacionismo bíblico, ou o criacionismo religioso, em lugar do criacionismo científico.
Apenas para esclarecimento, o Criacionismo científico defende a tese de que processos naturais e leis da natureza não teriam trazido à existência a complexidade encontrada no universo e na vida. Por exemplo,se eu lhe perguntasse: “O laptop que utilizo veio à existência espontaneamente ou foi criado? Em outras palavras, processos naturais e leis da natureza, teriam trazido o meu laptop à existência?” A resposta é, obviamente, um NÃO muito enfático. Se processos naturais e leis da natureza não conseguem trazer à existência um simples laptop, o que dizer a respeito do cérebro humano, que é quase que infinitamente mais complexo? Teria o cérebro humano vindo à existência por meio de processos naturais? A resposta é óbvia.
O Criacionismo científico é perfeitamente compatível com o ensino científico proposto pelas leis que regem a educação nesses dois países. Falta apenas conhecimento das lideranças dos departamentos de ensino de ambos os países para que essa disciplina possa ser ensinada nas escolas.

Como confrontar Criacionismo e Evolucionismo?
Sob o ponto de vista da Ciência, o Criacionismo procura demonstrar que leis da natureza, os processos naturais, não teriam trazido a vida à existência. Isso é mostrado em laboratório, onde estão as bases do Criacionismo científico. Os evolucionistas dizem que em bilhões de anos tudo poderia acontecer. Na verdade, evolucionistas e criacionistas possuem exatamente o mesmo dado, a mesma informação. Um fóssil, ou um raio, por exemplo. Mas as perspectivas de cada um é que darão a devida interpretação, do ponto de vista individual.

Como explicar o início da existência de Deus dentro do tempo, do espaço e da matéria?
Deus trouxe tudo à existência quando trouxe o tempo, o espaço e a matéria, mas Deus não está neles e nem precisa deles, pois os criou.O Criador não é a criação, mas está em cada metro cúbico dela. Nós é que estamos presos no tempo e no espaço.
Se não houvesse nada mudando, como saberíamos que o tempo já passou? A ideia de tempo implica a de mudança. Portanto, antes de criar tudo não havia mudança, por isso não havia tempo. Então, não há razão para perguntar quando Deus começou a existir, isso não faz sentido. Deus não vê o futuro porque Ele não está no tempo, está fora do tempo, mas vê tudo de uma vez só.
Enfim, não podemos provar a existência de Deus pela Física, conforme está escrito em Hebreus 11:6. Se fosse possível provar, isso não seria fé, pois o que se prova não tem necessidade da fé.

Como associar milagre e Ciência no advento da abertura do Mar Vermelho?
Por meio de leis físicas, estranhas e desconhecidas o mar se abriu, porque por leis normais e conhecidas isso não seria possível. Por isso o nome é milagre. E do ponto de vista de um matemático, é mais fácil crer no mar que se abriu do que na explosão do big bang,que teria originado toda a criação, porque no primeiro caso tinha dois milhões de testemunhas e no outro, nenhuma.

Há uma explicação científica para o fato de Deus ter feito Eva da costela de Adão, e não de outra parte do corpo?
Sim. Primeiro Deus aplicou-lhe uma anestesia geral, que foi um pesado sono. Em seguida, Deus retirou uma de suas costelas porque nela tem medula óssea vermelha, onde encontramos células-tronco. É nelas que está o material genético para a clonagem. Eva foi criada de uma clonagem. Após a cirurgia, Deus fechou a carne de Adão fazendo de Eva um clone alterado geneticamente.

Por que Deus começou a criação pelo homem, e não pela mulher? 
Porque eles (os homens) são de cromossomos XY e a mulher, XX,e no processo de clonagem, é só duplicar o X. Mas,se houvesse começado pela mulher, como iria duplicar o Y?

Por que temos medo de estudar e confrontar Ciências? Seria um sinal de incredulidade estudar essas coisas?
Essas duas questões estão relacionadas com o nosso entendimento do que é Ciência. Ciência nada mais é que uma busca por conhecimento. Nenhum cristão verdadeiro deveria temer a Ciência, ou mesmo não querer confrontá-la sabiamente, pois nós somos convidados por Deus a buscar conhecimento (Prov. 2:1-5). Deus disse: “Dominai a terra”, ou seja, saiba com funciona, conheça, estude Ciências. Infelizmente, nem tudo o que é ensinado “em nome da Ciência” é verdadeiro. E por isso muitos cristãos não se sentem motivados a estudar Ciências. A reação deveria ser exatamente a oposta. Por Deus ter nos libertado para conhecer a verdade – e conhecê-la em todas as áreas, não somente na área espiritual – é que deveríamos ter muitos cristãos envolvidos com a Ciência. Precisamos entender que a multiforme sabedoria de Deus, como nos é dito em Efésios 3:10, expressa-se em todas as áreas do conhecimento humano, inclusive na Ciência. Essa é uma das principais razões de o mundo incrédulo achar que Deus só entende de coisas espirituais, o que é um erro muito grosseiro. Sinal de incredulidade é não querer conhecer as obras das mãos de Deus, reveladas na natureza e estudadas pela verdadeira Ciência.

A Ciência e a fé se contradizem ou se misturam?
Depende de como se vê a Ciência e a fé. Toda ciência devidamente estabelecida e toda Bíblia corretamente interpretada nunca entrarão em contradição.

Exemplifique essa sua afirmação.
Em Jó 6:7 temos uma afirmação científica. Nosso norte sideral existe, é o espaço vazio. Isso foi provado por cientistas em 1989 e confirmado em 2007.

Qual teria sido o sinal colocado em Caim depois que matou Abel?
A Bíblia não diz qual foi o sinal colocado em Caim. E não há como descobrir. Existem pessoas que dizem que foi a cor negra da pele. Isso é pura heresia. A Bíblia não ensina isso. E podemos perceber muito facilmente que esse não é o caso. Se Caim fosse negro, todos os seus descendentes, que por sinal não entraram na Arca de Noé, teriam morrido no dilúvio. Portanto, não deveria haver nenhuma pessoa de pele negra após o dilúvio.

Satanás é criação de Deus?
Satanás é criação de Deus, mas Deus não está lutando com Satanás, pois este não é páreo para Ele. Assim que quiser, poderá desfazê-lo num piscar de olhos. É o arcanjo Miguel quem luta com Satanás.

A Bíblia é mais avançada que as descobertas científicas?
Para exemplificar esta verdade, cito Gênesis 1:9, onde a Biblia fala da parte seca criada e não das partes secas, ou seja, havia um único continente. A Bíblia diz que a ciência é tão ignorante que chegou a essa conclusão quatro mil anos depois.E em Jó 40:15 temos a descrição completa do dinossauro, de 40×24 metros de altura e 100 toneladas. O osso era de 30 cm de diâmetro.

Qual a melhor estratégia de evangelização de crianças?
A Igreja tem que parar de ensinar Gênesis como se fosse um gibi. É história com H, e não com e, de estória. Temos que ensinar Genealogia, que é a ideia de falar dos personagens bíblicos dentro do tempo e do espaço. Por exemplo, Abraão tinha 58 anos quando Noé existia e podia perguntar tudo o que quisesse para ele. Na minha infância, muitas coisas, pela maneira como me foram ensinadas, reforçavam as ideias evolucionistas que eu recebia na escola. Uma dessas coisas ensinadas na igreja foi que Noé não teria levado os dinossauros na arca porque eles já estariam extintos há muito tempo. Eu queria colocar os dinossauros na arca, mas o professor disse que eles já haviam desaparecido. Então, eu fiz automaticamente uma separação dos tempos que reforçaram a ideia evolucionista que aprendi na escola.

O que responder para quem defende que a Bíblia é apenas papel e não serve como prova da verdade sobre Deus e sua criação?
Pergunte a idade da pessoa. Quando ela responder, peça que prove sua idade. Ela apresentará um documento com sua data de nascimento. Ao final, pergunte por que ela acredita num pedaço de papel e conclua dizendo que ninguém sabe de fato sua própria idade, apenas cremos num pedaço de papel e no que as pessoas dizem a nosso respeito. Por que insistem em usar esse argumento somente para a Bíblia?

Os Dinossauros na Bíblia?

Os Dinossauros na Bíblia?

Alguém me disse uma vez que a ciência é superior a tudo. Que tudo pode ser explicado por ela, e que ela deveria ser colocada no lugar de Deus e todos os homens deveriam se curvar perante a ciência.
Este mesmo alguém mencionou varias supostas provas sobre a superioridade da ciência sobre a Bíblia Sagrada e uma destas supostas provas eram os enormes fosseis de Dinossauros e animais pré-históricos que remontam uma historia para o nosso planeta cuja Bíblia não menciona ou apóia.
Nosso objetivo, como mencionamos em algumas outras matérias é defender nossa fé. Mostrar que a Palavra de Deus é o único alicerce confiável, o único porto realmente seguro para firmarmos nosso coração e mente. Não desmerecendo é claro a ciência, pois até ela, queira o homem ou não, foi invenção de Deus.
O fato de hoje estarmos encontrando fosseis de dinossauros e animais pré-históricos, que não são (segundo alguns acreditam) mencionados na Bíblia, não quer dizer que haja algum erro na palavra de Deus, mas sim que há uma necessidade de entendermos como é isso e o porquê disso.
Um ateu ou critico da Bíblia logo elucidaria o caso sem mesmo procurar explicações para ele.
É incrível como homens se esforçam tanto para provarem teorias até mesmo ridículas, mas quando se trata de entender a Palavra de Deus e coisas referentes a Ele preferem ficar ignorantes e não fazer nenhum esforço para encontrar a verdade.
Para chegarmos a algumas conclusões sobre a existência de dinossauros e entendermos as evidencias encontradas no registro fóssil vamos primeiramente trabalhar com algumas hipóteses e questões que precisam ser avaliadas com cuidado.
1º Se existiu um mundo pré-histórico a milhões de anos, então a Bíblia estaria mentindo quando afirma que a Terra teria apenas alguns milhares de anos?
2º Se os dinossauros realmente existiram, por que a Bíblia não os menciona?
3º Se dinossauros existiram então os relatos bíblicos sobre a criação dos animais e dos seres humanos, não passam de uma mentira?
Como podemos ver, apenas nestes três pontos não há como consolidar as descobertas da existência de dinossauros com as narrativas bíblicas.
Se aceitarmos a idéia de um mundo pré-histórico com criaturas gigantescas e um planeta totalmente jurássico como é comum vermos nas produções cinematográficas, então teremos que acreditar que a Bíblia não foi honesta conosco e que não passa de uma fabula, ou uma meia verdade. Teremos que abrir espaço para muitas outras teorias cientificas propostas pelo homem. Fazendo isso, acabaremos por abandonar totalmente o conceito de que a Bíblia é a palavra de um Deus criador, que arquitetou e criou todo o universo e a vida como nos é exposta nas Escrituras.
Mas, e se encontrássemos provas de que os dinossauros realmente existiram e que se encaixam perfeitamente com a visão bíblia e que não há nada na existência destas criaturas que venha a desmentir a Palavra de Deus?
Para que isso aconteça teremos que trazer os dinossauros para tempos mais atuais da historia humana. Teremos que coloca-los vivos na época de Adão e Eva, nos tempos de Noé, Moisés, Davi e até quem sabe, em nossos dias. Mas será que isso é possível?
É exatamente isto que este artigo espera provar. Que este grande enigma referente a historia dos dinossauros e a narrativa bíblica, na verdade não é tão grande assim.

Os Dinossauros dentro da Bíblia.
Por que a Bíblia não menciona a existência de Dinossauros?
 E quem disse que a Bíblia não nos fala de Dinossauros? Em verdade existem varias referencias na Palavra de Deus que nos mostram a figura destes enormes e terríveis monstros.
Devo porem lembrar que se alguém espera encontrar o termo “Dinossauros” na Bíblia, lamento dizer não ser isso possível, já que somente em 1841, Richard Owen utilizou a palavra dinossauro referida a um réptil gigante.
A Bíblia não poderia mencionar em suas páginas uma palavra que seria inventada centenas de anos após sua formação final. Ou pelo menos neste caso não menciona esta palavra.
Na Bíblia sagrada existem algumas palavras e referencias usadas para nos descreverem os Dinossauros. São elas:
A primeira referência a estes seres é Gén. 1:21 “Deus criou as grandes baleias”. A palavra hebraica para baleias é TANNIYM, que significa «monstro». Esta palavra surge mais de 20 vezes em toda a Bíblia.
Outra passagem relativa a dinossauros é Isaías 27:1. Fala de um tipo de dragão marinho denominado de Leviatã (veja Salmo 74:14; 104:26), e está descrito pelo próprio Deus em Jo 41:1-34.
“Naquele dia o Senhor castigará com a sua dura espada, grande e forte, o Leviatã, a serpente veloz, e o Leviatã, a serpente tortuosa, e matará o dragão que está no mar” (Isaías 27:1)
“Fizeste em pedaços as cabeças do leviatã, e o deste por mantimento aos habitantes do deserto” (Salmo 74:14)
“Tal é este vasto e espaçoso mar onde se movem seres inumeráveis, animais pequenos e grandes. Ali passam os navios; e o leviatã para nele folgar” (Salmo 104:25,26)
A grande serpente chamada pela Bíblia de LEVIATàé apresentada como um animal de grande porte chegando a ser comparado com um navio.

Em algumas versões das Escrituras traduzidas para nossa língua o Leviatã aparece com o nome de crocodilo. Alguns se valem desta errônea tradução para afirmar que ele não é uma criatura monstruosa e semelhante a um dragão.
Porem vamos analisar alguns dos versículos que nos falam deste animal e vejamos se é possível compara-lo com um simples crocodilo:
Põe a tua mão sobre ele, lembra-te da peleja, e nunca mais tal intentarás.
Quem descobriria a superfície do seu vestido? quem entrará entre as suas queixadas dobradas?
Quem abriria as portas do seu rosto? Pois em roda dos seus dentes está o terror.
As suas fortes escamas são excelentíssimas, cada uma fechada como com selo apertado.
Uma à outra se chega tão perto, que nem um assopro passa por entre elas.
Umas às outras se ligam; tanto aderem entre si, que não se podem separar,
Cada um dos seus espirros faz resplandecer a luz, e os seus olhos são como as pestanas da alva.
Pelo que vemos apenas neste trecho era um animal grande e temido, possuía um corpo coberto de escamas e seus espirros produziam um grande estrondo ou até fogo.
Da sua boca saem tochas; faíscas de fogo saltam dela.
Do seu nariz procede fumo, como duma panela fervente, ou duma grande caldeira.
O seu hálito faria acender os carvões; e da sua boca sai chama.
Vemos evidentemente ser um animal que soltava fogo pela boca, ou na mais longínqua das interpretações estariam a expressar a ferocidade deste animal. Porem a interpretação literal é mais aproximada do sentido que o autor parece querer dar ao texto, devido à ênfase ao fato do animal soltar fogo.
No seu pescoço pousa a força; perante ele até a tristeza salta de prazer.
Os músculos da sua carne estão pegados entre si; cada um está firme nele, e nenhum se move.
O seu coração é firme como uma pedra e firme como a mó de baixo.
Levantando-se ele, tremem os valentes; em razão dos seus abalos se purificam.
Se alguém lhe tocar com a espada, essa não poderá penetrar, nem lança, dardo ou frecha.
Ele reputa o ferro palha, e o cobre pau podre.
A seta o não fará fugir; as pedras das fundas se lhe tornam em restolho.
As pedras atiradas são para ele como arestas, ri-se do brandir da lança.
Debaixo de si tem conchas pontiagudas; estende-se sobre cousas pontiagudas como na lama.
Era um animal imune a armas por causa da dureza de seu corpo ou couraça. Dando a entender também ser grande e forte. Os textos afirmam que para ele o ferro era semelhante a palha e o cobre semelhante a pau podre, podia também se lançar contra coisas pontiagudas e mal nenhum lhe faria
As profundezas faz ferver, como uma panela; torna o mar como quando os ungüentos fervem.
Após ele alumia o caminho; parece o abismo tornado em brancura de cãs.
Na terra não há cousa que se lhe possa comparar, pois foi feito para estar sem pavor.
Mais uma vez o texto relaciona este animal a fogo ou calor intenso e o distingue de qualquer outro animal existente na Terra.
Todo o alto vê; é rei sobre todos os filhos de animais altivos.
Por fim o texto bíblico nos mostra o animal como um gigante que podia ver tudo do alto e ser maior que qualquer outro animal gigante.
(Jó 41:8 ao 34)
Mediante a estas informações poderíamos concluir que este animal é um crocodilo? Obviamente que não! As características dadas na Bíblia sobre esta fera não se encaixam com a figura de um crocodilo e sim com um dragão ou possivelmente um Dinossauro.
Alguns reconhecem as narrativas bíblicas sobre o Leviatã apenas como uma lenda, afirmando que o Livro de Jó era uma ficção, já que este livro nos transmite a imagem deste animal que se parece muito com as narrativas mitológicas sobre dragões e animais semelhantes, pois Jó afirma que o Leviatã cuspia fogo.
Seria possível então este animal ter existido? Ou melhor seria possível ter havido um animal que cuspia fogo? Independente de os escritos de Jô falarem literalmente ou simbolicamente sobre este assunto, a possibilidade de ter existido algum animal que cuspia fogo, não é muito absurda.
Eis a prova: Deus preservou até aos dias de hoje alguns pequenos seres, chamados besouros bombardeiros, com pouco mais de 1 cm, que nos mostram como era possível lançar “fogo”.
Estes besouros têm um pequeno canhão nas suas caudas, cada qual com um gás venenoso. Quando sentem perigo misturam estes dois gases, formando uma bola de gás quente e nocivo que ataca os seus inimigos.
Existem bolsas que armazenam substâncias inflamáveis como a hidroquinona e peróxido de hidrogênio que ao entrar em contato com o ambiente inflama.Esse besouro utiliza esse recurso para defesa e ao observarmos temos a impressão que o animal está expelindo fogo de seu corpo. O produto inflamável está a uma temperatura de 212°F (100°C) e é protegido pelo uso de um inibidor natural, não prejudicando o seu portador
 Dentre as descobertas que temos hoje, alguns dinossauros parecem se assemelhar com o besouro bombardeiro.

O Kronossauro e o Hadrossauro e o Plesiossauro possuíam uma estrutura craniana com órgãos em forma de bexigas e câmaras provavelmente usadas para armazenar produtos químicos e também lançar estes produtos inflamáveis para proteger-se, ou atacar, sem queimar-se ou machucar-se. Em fosseis destes animais foram encontradas em seu crânio quantidades de magnésio metálico, uma substancia inflamável e que se torna ainda mais volátil em contato com a água. Isto explicaria muito bem as passagens bíblicas já mencionadas anteriormente.
Existe uma grande possibilidade que um destes dinossauros sejam a espécie que Bíblia chama de LEVIATÃ ou mesmo DRAGÃO.
Outro termo usado para definir a figura de um Dinossauro na Bíblia Sagrada é BEHEMOTH no original Hebraico. Algumas versões da Bíblia traduziram este nome como hipopótamo ou elefante. Porem é pouco provável que esta seja a tradução correta para a palavra, pois as características aplicadas ao animal são totalmente diferentes das do hipopótamo e do elefante. Alem disso não são encontrados hipopótamos e elefantes nas regiões geográficas a que o texto faz referencia. É possível que a palavra Behemoth tenha sido assim traduzida por falta de referencias históricas sobre animais semelhantes a estes.

A palavra BEHEMOTH ou Be-hay-mohth, se fosse traduzida ao pé da letra teria um significado mais aproximado a “raposa marinha” ou quadrúpede de grande porte ou mesmo uma besta.
Muitos estudiosos acreditam que o texto na realidade está se referindo a um dinossauro, oBraquiossauro, que se encaixaria melhor no que se refere a este estranho animal mencionado nas sagradas escrituras.
No livro de Jó um dos livros mais antigos da Bíblia temos a seguinte descrição deste animal:
“Contemplas agora o beemote, que eu fiz contigo, que come a erva como o boi.Eis que a sua força está nos seus lombos, e o seu poder nos músculos do seu ventre.Quando quer, move a sua cauda como cedro; os nervos das suas coxas estão entretecidos.Os seus ossos são como tubos de bronze; a sua ossada é como barras de ferro.Ele é obra-prima dos caminhos de Deus; o que o fez o proveu da sua espada.Em verdade os montes lhe produzem pastos, onde todos os animais do campo folgam.Deita-se debaixo das árvores sombrias, no esconderijo das canas e da lama. As árvores sombrias o cobrem, com sua sombra; os salgueiros do ribeiro o cercam.Eis que um rio transborda, e ele não se apressa, confiando ainda que o Jordão se levante até à sua boca.Podê-lo-iam porventura caçar à vista de seus olhos, ou com laços lhe furar o nariz?”
( Jó 40:15-24:)
 O livro de Jó afirma que o animal move a cauda como o cedro. Isso nos dá a entender que havia um certo poder na cauda do animal mencionado, pois a sua cauda é comparada ao cedro que é uma arvore grande e forte. Não seria possível que este trecho estivesse se referindo ao elefante ou hipopótamo, pois suas caudas são insignificantes.
Também existe a afirmação de que este animal habitava nos montes e que eles lhes eram pastos diferente de hipopótamos e elefantes.
As narrativas de Jó descrevem, ou dão a entender que o animal era bastante grande, pois nem mesmo com o transbordar ou enchente de um rio como o Jordão “até sua boca” este animal não teria temores, o que poderia significar que era bastante pesado.
Na biologia os dinossauros são classificados como répteis, sendo assim Gn 1: 24 – 25declara: “Disse também Deus: Produza a terra seres viventes, conforme a sua espécie: animais domésticos, répteis e animais selváticos, segundo a sua espécie. E assim se fez”.
Impressionante fotografia de um Pterodáctilo capturado durante a Guerra Civil americana!

Impressionante fotografia de um Pterodáctilo capturado durante a Guerra Civil americana!

Estudo: Pr. Monteiro Júnior, Dr. Adalto Lourenço
otiliojr@gmail.com

Placa de 700 a.C. desvenda mito de Sodoma e Gomorra

Antes de conhecermos as novidades sobre a tabuleta encontrada é bom que se conheça o que a palavra do Senhor nos revela:

Então disseram aqueles homens a Ló: Tens alguém mais aqui? Teu genro, e teus filhos, e tuas filhas, e todos quantos tens nesta cidade, tira-os fora deste lugar;
Porque nós vamos destruir este lugar, porque o seu clamor tem aumentado diante da face do Senhor, e o Senhor nos enviou a destruí-lo.
Então saiu Ló, e falou a seus genros, aos que haviam de tomar as suas filhas, e disse: Levantai-vos, saí deste lugar, porque o Senhor há de destruir a cidade. Foi tido porém por zombador aos olhos de seus genros.
E ao amanhecer os anjos apertaram com Ló, dizendo: Levanta-te, toma tua mulher e tuas duas filhas que aqui estão, para que não pereças na injustiça desta cidade.
Ele, porém, demorava-se, e aqueles homens lhe pegaram pela mão, e pela mão de sua mulher e de suas duas filhas, sendo-lhe o Senhor misericordioso, e tiraram-no, e puseram-no fora da cidade.
E aconteceu que, tirando-os fora, disse: Escapa-te por tua vida; não olhes para trás de ti, e não pares em toda esta campina; escapa lá para o monte, para que não pereças.
E Ló disse-lhe: Ora, não, meu Senhor!
Eis que agora o teu servo tem achado graça aos teus olhos, e engrandeceste a tua misericórdia que a mim me fizeste, para guardar a minha alma em vida; mas eu não posso escapar no monte, para que porventura não me apanhe este mal, e eu morra.
Eis que agora aquela cidade está perto, para fugir para lá, e é pequena; ora, deixe-me escapar para lá (não é pequena? ), para que minha alma viva.
E disse-lhe: Eis aqui, tenho-te aceitado também neste negócio, para não destruir aquela cidade, de que falaste;
Apressa-te, escapa-te para ali; porque nada poderei fazer, enquanto não tiveres ali chegado. Por isso se chamou o nome da cidade Zoar.
Saiu o sol sobre a terra, quando Ló entrou em Zoar.
Então o Senhor fez chover enxofre e fogo, do Senhor desde os céus, sobre Sodoma e Gomorra;
E destruiu aquelas cidades e toda aquela campina, e todos os moradores daquelas cidades, e o que nascia da terra.
Gênesis 19:12-25

Os cientistas britânicos Alan Bond, diretor da empresa de propulsão espacialReaction Engines, e Mark Hempsell, especialista em astronáutica da Universidade de Bristol, decifraram as inscrições cuneiformes de uma tabuleta de argila datada de 700 a.C.

sodoma_desmascarada
Tabuleta de argila do ano 700 a.C., foi achado no século XIX, mas só agora foi decifrado.

Eles concluíram se tratar do testemunho lavrado por um astrônomo sumério descrevendo a passagem de um asteróide cujas características se assemelham à chuva de fogo que arrasou as cidades de Sodoma e Gomorra.

As informações circularam largamente por órgãos de imprensa como a BBC Brasil  ou diários como o Times  de Londres, La Stampa  de Turim, ou The Australian . Elas são objeto de crítica e análise . Os especialistas reuniram dados e conclusões no livro “A Sumerian Observation of the Kofels Impact ”, publicado em Londres.

A tabuleta foi descoberta nas ruínas de Nínive por Sir Henry Layard em meados do século XIX. Estava exposta no British Museum. Ela é conhecido como “Planisfério” (foto acima) e há 150 anos os cientistas vêm disputando sobre seu verdadeiro significado.

No objeto há anotações de um astrônomo milhares de anos atrás. O “Planisfério” é uma cópia feita por volta do ano 700 a.C. de uma tabuleta suméria muito anterior.

Bond e Hempsell apelaram a tecnologias computadorizadas para simular a trajetória de objetos celestes. Assim reconstruíram o céu observado por esse astrônomo há milhares de anos. Os cálculos apontaram que o evento descrito aconteceu na noite do dia 29 de junho de 3123 a.C., de acordo com o calendário juliano.

Os pesquisadores interpretam que a metade do “Planisfério” informa a posição dos planetas e das nuvens. A outra metade descreve a trajetória de um asteróide de mais de um quilômetro de diâmetro.

Mark Hempsell diz que, pelo tamanho e rota do objeto, pode se tratar do asteróide que caiu na região de Köfels, nos Alpes austríacos.

O meterorito não deixou cratera, pois provocou enorme desabamento no morro contra o qual bateu.

O asteróide teria voado próximo ao chão, e as ondas supersônicas que produziu impactaram a Terra com força cataclísmica.

O meteorito teria gerado uma bola de fogo com temperaturas de até 400ºC e teria devastado por volta de 1 milhão de quilômetros quadrados. Segundo Hempsell a devastação se assemelha à descrição bíblica da destruição de Sodoma e Gomorra, e catástrofes mencionadas em mitos antigos.

Para o pesquisador a nuvem de fumaça causada pela explosão do asteróide teria atingido o Sinai, algumas regiões do Oriente Médio e o norte do Egito.

Fonte: BBC

Vida fora do planeta terra

imagem-de-ovni

O professor Dr. Werner Gitt, diretor do “Instituto Nacional de Tecnologia Física” na Alemanha, escreveu o seguinte acerca do assunto:

Estamos sozinhos, ou existe vida em outros lugares do Universo? Os relatórios acerca de discos voadores e de encontros com extraterrestres, que há décadas já produziam inúmeras especulações, e que nos últimos tempos aumentaram em número, receberam combustível de uma ala séria: no início de agosto de 1996, pesquisadores da NASA anunciaram ter descoberto formas rudimentares de vida em um meteorito que supostamente procedia de Marte. Estas ligas orgânicas também poderiam ser bolinhas de lama petrificada, ressaltam. Uma prova de “vida”, na verdade, não existia! Mas de qualquer forma a pedra de quase dois quilos, achada na Antártida, reaqueceu a febre marciana mundial: nos próximos anos, americanos, europeus, japoneses e russos planejam cerca de 20 projetos e pretendem enviar sondas até o planeta vizinho Marte, distante 78 milhões de quilômetros.

De modo geral, percebe-se que a crença em inteligência extraterrestre, que já tinha características quase religiosas, alcança uma nova dimensão.

A onda dos OVNIs vai aumentando

Se bem que após algum tempo as especulações sobre a “pedra de Marte” mostraram não ter fundamento, o entusiasmo pela busca de vida extraterrena prossegue. Existem diversas causaspara o enorme “boom” dos relatos de aparições de OVNIs (Objetos Voadores Não Identificados). O professor de psiquiatria da Universidade de Harvard, John E. Mack, chamou a atenção do mundo inteiro com sua coletânea de casos intitulada“Raptado por Extraterrestres”. Há algum tempo, o cineasta britânico Ray Stilli trouxe a público um filme supostamente rodado em 1947 e mantido em sigilo desde então, mostrando a autópsia de um suposto extraterrestre. Ele teria caído com seu disco voador no Novo México em 1947, próximo à base aérea de Roswell. Na Brasil, o “Fantástico” mostrou partes do filme. Em outubro de 1995, no Congresso Mundial de OVNIs, em Düsseldorf (Alemanha), as imagens pouco nítidas foram uma das principais atrações. (…) Segundo uma pesquisa de opinião efetuada pelo Instituto Allensbach, na Alemanha 17% da população crê que existam OVNIs, 40% contam com vida em outros planetas e 31% crêem que estes seres sejam inteligentes.

Como os cristãos deveriam classificar os OVNIs? Que significado tem a existência de extraterrestres no espaço?

I. O que a ciência diz a respeito?

1. Nunca houve um contato com “extraterrestres”

No ano de 1900, a Academia Francesa de Ciências anunciou um prêmio de 100.000 Francos para quem fosse o primeiro a estabelecer contato com um mundo desconhecido. Marte foi excluído, pois naquela época havia certeza da existência de moradores no planeta vizinho. Mas nesse meio tempo sabe-se com certeza: nem nesse nem em outro planeta existe qualquer sinal de “pequenos homenzinhos verdes” ou de qualquer outro ser inteligente.

Mesmo que até agora não exista a menor prova científica da existência de vida extraterrena, muitos astrônomos – sob o impacto da quantidade enorme de estrelas – acham que a vida, como ela é concebida na terra, também teria de haver surgido em outros lugares. Os cientistas americanos do SETI (Search for Extraterrestrial Intelligence = Busca de Inteligência Extraterrestre) fizeram diversas tentativas para captar sinais do espaço. Tudo foi em vão – eles também não encontraram nenhuma prova de vida extraterrestre.

2. Vida no espaço só seria possível se…

Vida no espaço só seria possível em um planeta cuja superfície suprisse diversas condições. Ele deve ter a distância certa de seu sol para ser aquecido corretamente. Até aqui os astrônomos só acharam uma indicação de possível vida em um planeta em outro sistema solar. Ele orbita em torno da estrela Pégaso de nossa Via Láctea, distante 45 anos-luz de nós. Mas como ela está 20 vezes mais próxima de seu sol do que a terra, a vida lá seria impossível devido ao calor. Ainda é possível que existam planetas não descobertos entre os incontáveis sóis (um número formado por 1 mais 25 zeros). Mas é, no mínimo, improvável que eles atendam as condições que possibilitem a existência de vida. A simples existência de água ou gelo não é evidência clara da eventual existência de outras formas de vida, como foi publicado em muitos jornais, quando se dizia que na lua de Júpiter, chamada “Europa”, eventualmente teria sido descoberto gelo.

3. Distâncias intransponíveis até outros planetas

Mesmo aceitando-se que exista vida em algum lugar do espaço, uma visita de extraterrestres à Terra, como as sugeridas pelos relatos de OVNIs, seria impossível na prática. O principal impecilho são as distâncias inimaginavelmente grandes e, com isso, o longo tempo de viagem que se faz necessário. Já a estrela mais próxima da terra, chamada Proxima Centauri, fica a uma distância de 4,3 anos-luz, ou seja, 40.680.000.000.000 quilômetros (40,7 trilhões). Os vôos do projeto Apolo levaram três dias para irem até a Lua, que fica a 384.000 quilômetros de distância. Com a mesma velocidade, seriam necessários 870.000 anos para se chegar a essa estrela vizinha.

Sondas espaciais não-tripuladas poderiam obviamente ser mais rápidas. Se existisse alguma força de impulsão que alcançasse um décimo da velocidade da luz, mesmo assim a viagem levaria 43 anos. Segundo os cálculos aproximados do físico nuclear sueco C.Miliekowsky, seriam necessárias quantidades enormes de energia para a propulsão. Elas equivaleriam à quantidade de energia elétrica consumida atualmente pelo mundo inteiro em um mês. Além disso, as pequenas partículas de poeira que flutuam no espaço representam um problema para as sondas espaciais, pois colidiriam com elas. Átomos de hidrogênio (100.000 por metro cúbico) são os mais freqüentes. E partículas de poeira de silicatos e gelo com 0,1 grama de peso (100.000 por quilômetro cúbico) já poderiam destruir o aparelho. Tudo isso torna uma viagem de eventuais extraterrestres até nós ou de nós até eles praticamente impossível.

II. A Bíblia

1. Em lugar nenhum a Bíblia fala de extraterrestres

Para os cristãos, a Bíblia é a Palavra de Deus revelada. A Bíblia ensina que a vida só é possível através de um ato criador. Mesmo que no espaço existam planetas semelhantes à Terra, lá não existiria vida se o Criador não a tivesse criado. E se Deus o tivesse feito, e essas criaturas nos visitassem algum dia, então Deus não teria nos deixado ignorantes a respeito. Podemos deduzir isso de Isaías 34.16: “Buscai no livro do Senhor, e lede; nenhuma destas criaturas [de Deus] falhará, nem uma nem outra faltará”. Além disso, Deus nos informou acerca de detalhes muito exatos do futuro (por exemplo, acerca da volta de Jesus, detalhes acerca do fim deste mundo, como em Mateus 24 ou no livro de Apocalipse). Um dia o Universo será enrolado como um pergaminho envelhecido (Is 34.4; Ap 6.14). Com isso, se Deus tivesse criado seres viventes em outro lugar, Ele automaticamente destruiria a morada deles.

2. A finalidade das estrelas

Um outro raciocínio que leva à mesma conclusão: se conhecemos a finalidade das estrelas, temos em mãos a chave bíblica para respondermos as questãos concernentes aos assim chamados “extraterrestres”. O “para quê” das estrelas é mencionado em diversas passagens bíblicas. O conhecido Salmo 19 trata do assunto, mas queremos salientar aqui o relato da criação. Gênesis 1.14-15 diz: “Disse também Deus: Haja luzeiros no firmamento dos céus, para fazerem separação entre o dia e a noite; e sejam eles para sinais, para estações, para dias e anos. E sejam para luzeiros no firmamento dos céus, para alumiar a terra. E assim se fez.”

As razões de sua existência são muito claras: devem luzir na terra, mostrar o tempo e ser portadoras de sinais. As estrelas são, portanto, orientadas e planejadas para a terra, ou, para ser mais exato, para as pessoas que vivem na terra. Diante desta distribuição de finalidades quando de sua criação, diante da seqüência da criação (no primeiro dia a terra e só no quarto dia os outros planetas) bem como do testemunho bíblico como um todo, pode-se chegar a uma única conclusão: não se pode contar com vida em outros planetas!

III. E os OVNIs?

Após a constatação feita acima, como devemos nos posicionar diante dos fenômenos de discos voadores e diante da euforia e da crença em seres extraterrestres? Li na revista alemã “Focus”: “90% das notícias de OVNIs são consideradas disparates, mas um resto de dez por cento é suficiente para o surgimento de muitas especulações.” E o sociólogo Gerald Eberlein chega à conclusão: “Pesquisas revelaram que pessoas que não têm vínculos com igrejas mas afirmam ser religiosas, reagem de maneira especialmente forte à possível vida de extraterrestres. Para elas, a ufologia é uma espécie de religião substituta.” A Bíblia expressa a mesma constatação num ponto de vista ainda mais profundo, quando menciona causa e conseqüência: “Ora, o aparecimento do iníquo é segundo a eficácia de Satanás, com todo poder, e sinais e prodígios da mentira, e com todo engano de injustiça aos que perecem, porque não acolheram o amor da verdade para serem salvos. É por este motivo, pois, que Deus lhes manda a operação do erro, para darem crédito à mentira” (2 Ts 2.9-11).

A Bíblia o diz

Um pensamento complementar para elucidar o fenômeno dos discos voadores: a Bíblia dá uma descrição de todos os seres viventes. O Deus vivo se apresenta a nós como o Deus triúno no Pai, no Filho e no Espírito Santo. No céu existem os anjos, que também servem às pessoas sobre a terra. Eles trazem uma boa mensagem e dão a reconhecer quem os enviou (por ex., Lucas 2.6-16). Suas afirmações são precisas e verificáveis.

Uma mensagem diferente é a do diabo e dos demônios. Efésios 2.2 chama-o de “príncipe da potestade do ar”. Seu raio de ação é sobre a terra. O diabo tem seu próprio repertório para seduzir este mundo, sob a forma de variadas práticas ocultas e de milhares de ritos religiosos. Será que não poderia ser que, por trás de todos os fenômenos não identificáveis se encontrassem as obras do enganador? Como os relatos de OVNIs mostram, tudo é muito nebuloso e não identificável. Pessoas que não conhecem a Cristo se deixam fascinar com facilidade por tudo quanto é fenômeno abstrato. Aos cristãos vale o aviso: “Vede que ninguém vos engane!” (Mt 24.4).

(Norbert Lieth – http://www.chamada.com.br)

Norbert Lieth É Diretor da Chamada da Meia-Noite Internacional. Suas mensagens têm como tema central a Palavra Profética. Logo após sua conversão, estudou em nossa Escola Bíblica e ficou no Uruguai até concluí-la. Por alguns anos trabalhou como missionário em nossa Obra na Bolívia e depois iniciou a divulgação da nossa literatura na Venezuela, onde permaneceu até 1985. Nesse ano, voltou à Suíça e é o principal preletor em nossas conferências na Europa. É autor de vários livros publicados em alemão, português e espanhol.

Fonte: www.chamada.com.br

Porque dele e por ele, e para ele, são todas as coisas; Romanos 11:36

PORQUE aquele que vem do alto está acima de todos. Ele é a coroa do universo. O cumprimento das profecias. O Salvador do mundo. Ele é a estética de toda escultura. Ele é o ápice da realização de qualquer empreendimento. Para o artista, Ele é o apogeu da beleza. Para o arquiteto, a pedra fundamental. Para o astrônomo, a Estrela da manhã. Para o astrólogo, o Sol da justiça. Para o padeiro, o pão da vida. Para o carpinteiro, a Árvore da vida. Para o biólogo, Ele é a própria vida. Para o peregrino, o caminho. Para o estrangeiro, Ele é a porta. Para o médico, Ele é o bálsamo. Para o educador, Ele é o Mestre. Para a pedagogia, Ele é o Alfa e o Ômega. Para a matemática, o primeiro e o último. Para o geólogo, Ele é a Roc…ha Eterna. Para o escritor, Ele é a palavra viva. Para o poeta, Ele é a mais bela poesia. Para o músico, Ele é a mais linda canção de amor. Para o fazendeiro Ele é o semeador. Para o floricultor, a Rosa de Sarom e o Lírio dos vales. Para o juiz, Ele é a Lei. Para o advogado, Ele é a testemunha Fiel. Para o jornalista Ele é Boas Novas. Para o filósofo, Ele é a sabedoria. Para o pregador Ele é a Palavra de Deus. Para o estadista Ele é o desejo de todas as nações. Para o trabalhador Ele é o descanso. Para o sedento Ele é a água da vida. Para o pecador Ele é o Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo. Para o soldado, Ele é o Comandante. Para o cristão, Ele é o Cristo, o Filho de Deus!

PORQUE Ele é o Rei dos judeus, rei de Israel, é o Rei da justiça, da terra e do céu, é o Rei da glória, é o Rei dos reis. O seu amor é sem limites. Ele é eternamente forte, sincero, eternamente firme. É imortalmente gracioso. É imperialmente poderoso. É imparcialmente misericordioso. Ele é o maior fenômeno que atravessou o horizonte deste mundo. Ele é a peça central de qualquer civilização. Ele é inigualável. Ele é incomparável. A ideia mais elevada da literatura. A maior personalidade da filosofia. A doutrina fundamental a teologia. Ele dá força aos fracos. Ele se compadece dos encarcerados. Ele guarda e guia. Ele cura os feridos. Ele levanta os caídos. Ele perdoa pecados. Ele liberta os cativos. Ele defende os oprimidos. Ele recebe as
crianças. Ele abençoa os jovens. Ele estima e dignifica os idosos. Ele atende aos necessitados. Ele recompensa aos diligentes. Ele defende os injustiçados. Ele é a chave do conhecimento. A fonte da sabedoria. Ele é a porta do livramento. Ele é o caminho da paz. Ele é a estrada da santidade. Ele é o portal da glória. Sua vida é incomparável. Sua bondade é ilimitada. Sua misericórdia é eterna. O seu amor não tem fim. Sua palavra é completa. Sua graça é suficiente. Seu reinado é justo. Seu jugo é suave. O seu fardo é leve. Ele é indescritível. Ele é incompreensível. Ele é imbatível. Ele é irresistível. Não se pode viver sem Ele. Os fariseus não o suportaram, mas perceberam que não poderiam impedi-lo. Pilatos não pode lhe acusar e Herodes não conseguiu matá-lo. A morte não foi capaz de lhe dominar e o túmulo não conseguiu lhe segurar.
SIM! JESUS CRISTO É NOSSO SENHOR!